ENTREVISTA ESPECIAL: IRMÃO EDUARDO TOMANIK, GESTOR DA OBRA DO NOVO PALÁCIO
  • 03 out 2019

ENTREVISTA ESPECIAL: IRMÃO EDUARDO TOMANIK, GESTOR DA OBRA DO NOVO PALÁCIO

As obras no novo Palácio Maçônico do Grande Oriente de São Paulo (GOSP) já estão em um estágio adiantado. A estrutura de concreto já está finalizada e, nos próximos meses, será dado início à instalação da pele de vidro (fachada metálica revestida de vidros), o que já mostrará a face do novo Palácio.

Nesta entrevista, o Irmão Eduardo José Tomanik, gestor da obra do novo Palácio Maçônico, fala um pouco sobre o andamento da obra, o número de empregos gerados, as modernas funcionalidades que a estrutura contará e até os benefícios e comodidade que os Irmãos vindos do interior poderão usufruir.

A seguir, confira a entrevista na íntegra com o Irmão Eduardo José Tomanik, gestor da obra.

1) Por favor, comente brevemente como está o andamento da obra. Quais foram os passos já realizados e quais as etapas que ainda restam para a conclusão da construção?
Irmão Eduardo Tomanik: A obra – que conta com quatro subsolos e mais dez andares – está em avançado estado de execução, com sua estrutura de concreto totalmente finalizada.

Até o momento, foi colocada a cortina diafragma em todo o perímetro do terreno, com profundidade média de 18 metros, e estacas barretes, com profundidade, em média, de 20 metros.

Neste processo de realização das cortinas e estacas, foram consumidos um pouco mais de 1.800 m³ de concreto, mais de 64 toneladas de aço e foram retirados mais de 13 mil m³ de terra. Na superestrutura, ou seja, do térreo até a cobertura formam consumidos 280 toneladas de aço e mais de 2.500 m³ de concreto.

Toda alvenaria, interna e externa, está 90% concluída, e as instalações hidráulica e elétrica também estão bem avançadas. Os próximos passos serão os revestimentos, caixilhos e a pele de vidro na fachada principal.

2) Quais os cuidados que o Grande Oriente de São Paulo está tomando para que a obra seja concluída adequadamente. Quais são os padrões de qualidade que uma estrutura como essa exige.
Irmão Eduardo Tomanik: A obra está sendo executada dentro do melhor padrão de engenharia, utilizando materiais de primeira qualidade, rigorosamente dentro das normas técnicas especificadas e seguindo fielmente os projetos.

3) Quantas pessoas estão envolvidas direta e indiretamente em toda a construção da obra?
Irmão Eduardo Tomanik: Ao todo são 30 funcionários fixos e, em média, mais de 40 terceirizados

4) Quais funcionalidades e tecnologias do prédio que o senhor poderia destacar para os Irmãos como diferenciais do novo Palácio Maçônico?
Irmão Eduardo Tomanik: A entrada ao edifício será controlada por sistema de identificação por meio de funcionários e equipamentos de identificação eletrônica, garantindo a segurança das instalações. O Edifício contará ainda com sistema moderno, entre outros, de aproveitamento de água de reuso proveniente de água pluviais e também captando água da condensação dos aparelhos de ar-condicionado. Enfim, tudo foi feito para contribuir para o conforto interno do Palácio Maçônico.

5) Na sua opinião, qual a importância desta obra para a Maçonaria?
Irmão Eduardo Tomanik: Por ser um dos mais bonitos e modernos Palácio Maçônicos das Américas, esta obra coloca a Maçonaria Paulista em destaque e com um alto grau de importância no Mundo Maçônico.

6) Quais foram as principais mudanças adotadas na execução da obra desde a gestão do Sereníssimo Grão-Mestre Kamel Aref Saab?
Irmão Eduardo Tomanik: Pela dedicação, empenho e afinco do nosso Sereníssimo Grão-Mestre, Kamel Aref Saab, foi possível o desenvolvimento dos projetos e a execução da obra. Sempre à frente de todas as decisões, usando com austeridade os recursos para pagamento das despesas necessárias, chegou à essa etapa da obra.

7) Para o senhor, qual foi ou será a etapa da obra que exigirá mais esforços do Grande Oriente de São Paulo, em todos os sentidos?
Irmão Eduardo Tomanik: A etapa mais difícil e dispendiosa é a fase dos acabamentos, pelos detalhes e custo.

8) Sobre os aportes dos recursos. Qual mensagem o senhor tem a dizer para todos os Irmãos da potência?
Irmão Eduardo Tomanik: Em minha opinião, os irmãos devem colaborar para realização desta conquista do nosso GOSP.

9) Após terminado a obra, quais serão os benefícios do Palácio para os Irmãos do interior?
Irmão Eduardo Tomanik: Os benefícios são muitos. Os irmãos terão no novo Palácio Maçônico um amplo atendimento, pois todas as secretarias estarão à disposição para resolver problemas, esclarecimentos e ajuda nas necessidades que por ventura tenham. Temos nos nos 3º, 4º e 5ºandares, três Templos cada um totalizando nove Templos. Temos um restaurante panorâmico no 10º andar onde poderão tomar refeição. Como o retaurante é administrado por uma rede conceituada, os Irmãos pagarão pela refeição, porém com um desconto apresentando sua identidade maçônica. Terá loja para venda de artigos maçônicos, paramentos, pins, livros e demais artigos relativos a Maçonaria que também poderão ser enviados pelo correio se o irmão preferir. Enfim, será a Casa dos Maçons.

10) Por favor, deixe uma mensagem para os Irmãos de todo o Estado, que estão preocupados com o andamento da obra?
Irmão Eduardo Tomanik: Meus queridos Irmãos, esta obra é um marco importantíssimo na história do Grande Oriente de São Paulo, é uma realização que nos encherá de orgulho como Maçons.

Um TFA a todos.

“NÃO HÁ OBRA QUE SE ERGA SEM QUE NA ARGAMASSA ESTEJA MISTURADO O SUOR DO PEDREIRO”

“GRANDE ORIENTE DE SÃO PAULO: RUMO A UM SÉCULO DE REGULARIDADE E FRATERNIDADE 1921-2021″

GRANDE SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO E IMPRENSA DO GOSP

ENTREVISTA ESPECIAL: IRMÃO EDUARDO TOMANIK, GESTOR DA OBRA DO NOVO PALÁCIO