O QUE PARECE SÉRIO É VERNIZ PARA A MENTIRA E A ENGANAÇÃO.
  • Por: RS Press
  • 07 nov 2018

O QUE PARECE SÉRIO É VERNIZ PARA A MENTIRA E A ENGANAÇÃO.

Longa manifestação do Irmão Aguinaldo Alves Biffi revela o quanto o GOB e GOB/SP permanecem na insistente propagação de inverdades com o intento de gerar dúvidas e indecisões e ganhar mais seguidores.

“NÃO IMPLICA QUALQUER VEDAÇÃO À REVELAÇÃO DOS FATOS OCORRIDOS”

A assertiva induz que haja fatos imorais ou ilegais praticados pela administração do GOSP. Se existem podem e devem ser divulgados. O que é vedado é a divulgação da mentira.

“A DURA REALIDADE É QUE O GOSP ESTÁ COLHENDO O QUE PLANTOU, POSTO TER DESCORTINADO A TODOS, POR SUA DECISÃO DE DESFILIAÇÃO DO GOB”

A desfiliação do GOSP, que deverá ser seguida por outros Orientes e Lojas, teve por causas:

1. O arbítrio – O GOB, manipulado por um grupo que o domina, iniciou uma perseguição contra inúmeros irmãos especialmente daqueles que se colocavam ao lado do chapa encabeçada pelo Irmão Ballouk.

2. Quem são os principais articuladores da cassação da chapa? Aqueles que em São Paulo não conseguem vencer as eleições. Quem são os que ingressaram com várias representações, infundadas e caluniosas e que mesmo antes de serem julgadas foram tidas como “provas” de má-conduta dando sustentação à cassação? O mesmo grupo paulista. De fora de São Paulo, apenas dois, ligados ao mesmo grupo.

3. O GOB começou um processo de cassação de Grão-Mestres, legitimamente eleitos pelos irmãos de suas jurisdições. Começou por Minas Gerais, seguindo para o Rio Grande do Sul e tinha por próximo alvo o GOSP.

4. Os processos contra o Eduardo e Amintas duram desde 2016! A gravidade da CASSAÇÃO CAUTELAR de direitos impõe a celeridade do julgamento, porém, acham-se tais Irmãos “presos” cautelarmente de seus direitos maçônicos. Igual conduta teve o GOB em face do Irmão Pedron, cuja família quase foi destruída pela divulgação de sua representação e consequente cassação cautelar de direitos, com base em espúria denúncia de uma senhora que não é digna de credibilidade, bastando consultar sua ficha nas páginas da justiça Rio Grandense.

5. O passo seguinte seria tomarem o GOSP. Para tanto tentaram invadir suas instalações, bloquearam a conta bancária, falsificaram documentos e registraram no Cartório, infiltraram e aliciaram funcionários, os quais furtaram objetos e dados.

6. Diante destes ilícitos, caberia ao GOSP, para não cair em mãos ilegítimas, tomou medidas legais e administrativas, pondo fim à ilegal interferência das Autoridades do GOB.

Isto sim, são fatos que as “autoridades” do GOB e GOB-SP não divulgam. Optam por irem às Lojas vender a ideia de IRREGULARIDADE maçônica do GOSP, confundindo os Irmãos com os aspectos de RECONHECIMENTO.

Mentem e omitem no sentido de manter com eles o maior número de Lojas e se viabilizarem.

O GOSP levou 97 anos para chegar onde se acha. Eles querem alcançar-nos em 97 dias.

Afirmar que o GOSP é minoritário, quando a grande maioria das Lojas estão pagando regularmente a mútua e poucas formalizaram a desfiliação é explorar fatos que não se mede. É outra forma de sedução.

Estas são as razões que recomendamos através do Decreto de que as Lojas devam se abster de recepcionar estas autoridades de última hora que vêm somente para cooptar Lojas e Irmãos, recorrendo de mentiras e omitindo a verdade.

As Lojas que queiram permanecer em um ambiente como o vivido e noticiado nos últimos dois anos, podem fazê-lo.

O GOSP, hoje livre e sendo reestruturado será uma Obediência onde a paz, harmonia e a concórdia será a tríplice argamassa com que nos ligarão. Será uma Obediência onde não haverá temor e risco de suspensões ilegais, interferências na vida civil das Lojas, tribunais de exceção, será, por fim, uma Instituição moderna, com respeito à ordem jurídica e, sobretudo, uma Instituição onde se resgatará as tradições maçônicas e amor fraternal, sem espaço para grupos de dominação.

No tocante ao deferimento parcial da Liminar do Processo da 34ª Vara Civel, o GOB-SP ou o GOB não ganharam absolutamente nada, ao contrário perderam, vez que a douta magistrada mandou retirar o conteúdo da correspondência. O que na prática significa recolher a carta maliciosa e agressiva sem razão de ser. O que o magistrado ressalvou foi a liberdade de pensamento e somente isso, vejamos:

106003-26.2018.8.26.0100

(Tramitação prioritária)

Classe:

Tutela Antecipada Antecedente

Área: Cível

Assunto:

Liminar

Distribuição:

18/10/2018 às 15:44 – Livre

34ª Vara Cível – Foro Central Cível

Controle:

2018/002604

Juiz:

Adriana Sachsida Garcia

Valor da ação:

R$ 100.000,00

……..“Portanto, de rigor restringir apenas o conteúdo que impute a prática de crime à autora ou a seus adeptos. Por estes fundamentos, defiro parcialmente a antecipação de tutela para determinar aos réus que se abstenham de imputar práticas criminosas à autora, bem como para que substituam a carta de desfiliação que está em circulação que aduz conotação caluniosa. Para tanto, concedo prazo de 5 dias, a contar da intimação, sob pena de cominação de multa diária, na hipótese de desobediência. 4.- Para melhor prestigiar o princípio da celeridade e eficácia do processo; atenta à remansosa jurisprudência do Egrégio Superior Tribunal de Justiça, que já assentou o entendimento de que não importa nulidade do processo a não realização de audiência de conciliação ….”

Desse modo espero restabelecer a verdade e pondo por terras os argumentos falaciosos e mendazes.

Fraternalmente,

Armando Stoianov Guimarães Filho

MI – CIM 210489

Secretário Adjunto PAEL-SP de 2007 à 2012

Secretário PAEL-SP de 2015 à 2018