Revolução farroupilha e a Maçonaria

Breve estudo sobre o movimento

Publicada por Gosp

Publicada em 06/10/2022

A Revolução Farroupilha é considerada um dos acontecimentos mais importantes e simbólicos da história política e cultural do Rio Grande do Sul. 

O principal foco, aqui, é a influência da Maçonaria no decorrer da guerra. Frente à complexidade da realidade social do Rio Grande do Sul, a Maçonaria esteve presente e, de alguma forma, contribuiu para os resultados daquele movimento político histórico.

Mas será que a Maçonaria foi importante para a Revolução? Não existe uma resposta certa ou conclusiva a essa questão. Segundo as fontes disponíveis, não é documentado o suficiente sobre o fato para que se chegue a uma conclusão.

A restrita vinculação da primeira loja maçônica entre o gabinete de leitura da “O Continentino”, caracterizou uma das primeiras formas de atuação da Maçonaria no Rio Grande do Sul. Onde os membros de lojas maçônicas atuavam discretamente em razão do caráter sigiloso da instituição, e buscavam se proteger da perseguição política ou religiosa.

No decurso dos confrontos da revolução não existiam condições regimentais mínimas para que as lojas maçônicas prosseguissem com suas atividades ordinárias e extraordinárias. O clima geral de instabilidade política e social tornava difícil a regularização das cerimônias, a realização dos rituais e dos procedimentos administrativos previstos nas constituições e regulamentos. Assim, em condições atípicas, a ordem maçônica buscou alternativas de funcionamento para que não regredisse de situação.

Entre muitos acontecimentos é possível acreditar que a Revolução Farroupilha contribuiu para a expansão do pensamento político que aproximou parte da elite regional à maçonaria. Contudo, em sentido contrário, esse mesmo movimento impediu a expansão da maçonaria, sendo um impedimento para o fortalecimento da estrutura maçônica. 

A maçonaria encontrava-se no início quando eclodiu a revolução. Dessa maneira, dificilmente teria a força e prestígio necessários para influenciar ou interferir de forma rígida em um movimento daquele tamanho. Seguindo o princípio, é de comum conhecimento que alguns líderes farrapos tenham sido iniciados na Maçonaria no período anterior à revolução, ou da guerra civil. Contudo, esse argumento, sozinho, não garante a sustentação nas hipóteses de que a maçonaria foi fundamental na organização ou desfecho da guerra.

Por fim, não importa se a influência da maçonaria no desenrolar da Revolução Farroupilha não foi fundamental e nem decisiva, pois, de alguma forma, a instituição contribuiu de forma relevante.