DO OCEANO DE PAPEL À ONDA DIGITAL

O GOSP mergulha de cabeça no progresso tecnológico

Publicada por Gosp

Publicada em 28/04/2021

“100 anos de legado”, pense nas inúmeras experiências que essa frase implica, em todos os Irmãos que por aqui passaram e que se dedicaram para que nossa Potência sobrevivesse o teste do tempo, este número é o resultado destes esforços. O Grande Oriente de São Paulo é uma instituição centenária com valores tradicionais, logo, alguns costumes antigos ainda prevalecem. Entendam que, para viabilizar toda a longevidade da Instituição, certificando que tivéssemos registros de todos os acontecimentos, foi necessário toneladas de documentos impressos. Para cada Irmão iniciado, cada processo aberto, cada ritual presenciado, cada mudança visando o progresso, para praticamente tudo que ocorresse, foram utilizadas folhas e mais folhas, muitas assinadas em punho. Imagine um oceano branco de papel que alcança o horizonte, essa foi a realidade do Grande Oriente de São Paulo, até agora pelo menos.

Conversamos com os Irmãos responsáveis por idealizarem e desenvolverem cada etapa do Projeto Papel zero, confira.

Economista formado na PUC, Dayvi Mizrahi, diz que foi na Maçonaria onde realmente se encontrou. Iniciado em 2002, na Loja Manoel Tarnovschi 3322, ele vem de uma família de Maçons. Dayvi é o fundador do instituto Acácia de Responsabilidade Social, que hoje está passando por reformulação, a iniciativa tem como objetivo realizar ações de benemerência voltadas ao 3º setor, visando poder transformar a realidade das pessoas. No GOSP, sempre colaborou nas gestões ligadas ao Sereníssimo Grão-Mestre Benedito Ballouk, e a convite dele e do Eminente Grão-Mestre Adjunto Renato Garcia, passou a ocupar o cargo de Secretário da Guarda dos Selos no ano de 2020, um grande desafio que encarou de frente.  Você deve estar se perguntando, “Mas o que a Secretária da Guarda dos Selos faz, afinal?”, Dayvi nos conta que é o setor responsável por todos os registros das Lojas e dos Irmãos filiados ao GOSP, desde fundações de Lojas até o histórico de cada membro, ou seja, a Guarda é o epicentro do trâmite de documentos da Potência. 

Além de ser ecologicamente correta, a iniciativa de Papel Zero é economicamente importante, visto que, o gasto com correio chegava à R$ 4500 por mês, valor que hoje é inexistente. Segundo Dayvi: “Em um processo de iniciação ou de regularização imprimíamos até 34 folhas por processo, ocasionando um alto custo de armazenagem e impressão, nós entendemos que isso deveria acabar.” Quando diz “nós”, ele se refere a todos que apostaram no projeto: “Foi com o apoio do Grão Mestrado e da Secretaria de Administração, composta pelos Irmãos Alfeu Doria e Lauro Fabiano, que conseguimos implementar essas modificações.” Os Irmãos, assim como Dayvi, afirmam que hoje o GOSP não imprime praticamente nada, “Muito próximo a zero.” Outro aspecto que deve ser destacado e ilustra a importância do projeto, é a mudança de mentalidade, para abraçá-la foi preciso entender a necessidade de modernização, repensando os processos internos. Então, esse foi o primeiro passo: a revisão dos processos, definir o que precisava de impressão e de assinatura física, introduzindo um passo fundamental: a implementação da Assinatura Digital. 

A ideia da Assinatura Digital, surgiu de um questionamento de Dayvi “Se um juiz pode assinar a sentença através dessa tecnologia, por que nós não podemos fazer o mesmo?”. Para isso se concretizar era preciso o parceiro ideal, essa pessoa foi Frederico Hygino de Oliveira Filho, Fred como é conhecido, formado em Administração de Empresas, ele é o CEO da empresa Assina.Net, que viabiliza a formalização de contratos e negócios através de uma plataforma web onde é realizada a gestão da assinatura digital de documentos, ele ficou sabendo do projeto e entrou em contato com o Irmão Alfeu Doria, oferecendo seus serviços. Se você possui interesse em implementar a assinatura digital no seu negócio e deseja um serviço exemplar recomendamos entrar em contato com Fred pelo número: (11) 99318-9636!

Conversamos também, com o Irmão Lauro Fabiano, gestor de tecnologia da informação, editor, filósofo, historiador e jornalista que credita suas diversas ocupações à Maçonaria por despertar nele uma necessidade de estudo. No GOSP ele é assessor especial do Grão Mestrado. “Quando vi essa possibilidade me agreguei aos Secretários para trazer o papel zero ao GOSP, que só pode ser feito através da assinatura eletrônica, um processo que envolve segurança e senhas.” Disse Lauro, ele faz uma analogia ao deus Jano que reflete a opinião de todos os Irmãos envolvidos no projeto: “O deus Jano, regia as iniciações, ele possui uma face voltada para o passado e outra para o futuro, a Maçonaria, como uma das instituições mais antigas, não pode renunciar suas tradições, mas também não pode deixar de entender os processos que o futuro traz.” Ou seja, os valores em que o GOSP se edificou durante esses 100 anos devem ser mantidos, mas o progresso é necessário.

O Sereníssimo Grão-Mestre Benedito Ballouk deu sua palavra em relação ao projeto, ele é advogado, casado há 40 anos e pai de dois filhos, possui um livro publicado e muitas conquistas profissionais das quais se orgulhar. Iniciado em 1983, sua carreira dedicada ao GOSP é longa e próspera, atualmente está em seu 4º mandato como Grão-Mestre da Potência. Para ele a mudança está sendo positiva, ressalva que foi possível eliminar muito o consumo de papel na Instituição, e disse que hoje “Particularmente, não assino mais nenhum documento (à punho).” 

O Eminente Grão-Mestre Adjunto Renato Garcia também nos concedeu sua palavra, ele é formado em computação pela Unicamp e especializado em marketing pela FGV, casado com a farmacêutica Mônica com quem tem três filhos. Está na ordem há mais de 20 anos, tendo sido iniciado em 20 de dezembro de 1999. Renato disse que o projeto resultou do reconhecimento de diversos problemas com relação aos processos internos, que eram demorados e possuíam uma grande carga burocrática, atrapalhavam mais do que ajudavam, no sentido de ganhar tempo.  “Fomos amadurecendo essas ideias e quando lançamos [Renato e o Grão-Mestre Benedito Ballouk] a nossa candidatura, já tínhamos alguns pensamentos em relação à parte operacional do GOSP, então chamamos Dayvi, responsável, junto à toda a Secretaria de Guarda dos Selos e os Irmãos Alfeu Doria e Lauro Fabiano, pela implantação do Papel Zero. 

Os entrevistados ressaltam, que o impacto dessa mudança já pode ser sentido: “Os retornos das Lojas e dos Irmãos é extremamente positivo, conversamos diariamente em grupos virtuais e todos concordam que agora os processos que estão mais rápidos e a práticos!”.